No meu primeiro post [Projetos… Gerenciamento de Projetos… Vamos refletir?], falando sobre gerenciamento de projetos, fiz um paralelo entre SONHOS e PROJETOS, e por que gerenciá-los, sem usar uma abordagem técnica.

Bom, porque agora estou falando neste post? Um grande amigo meu, apesar de ter gostado do post, me falou que sentiu falta de uma abordagem um pouco mais técnica, mas que tinha entendido o sentido da abordagem.

Na verdade, eu também posso entendê-lo! Por termos nossas origens profissionais de uma área muito técnica (TI), muitas vezes, é a forma de vermos e identificarmos melhor o nosso conhecimento. Estamos acostumados a ler e vivenciar a área técnica (manuais, guias, livros técnicos, …). Gerenciar projetos, sem dúvida alguma, é um conjunto de atividades técnicas, mas também de atividades não técnicas, já que se supõe que um gerente de projetos dispende em torno 90% de seu tempo com comunicação. Com isso, reforço a importância da área humana da coisa.

Nessa caminhada, não tão longa assim, tenho percebido uma grande preocupação com números, métricas, datas, … Claro, sem medir, sem controlar tempo, custo, … Não acredito que consigamos atingir um nível aceitável de sucesso em nossos projetos, mas é importante lembrarmos, que todo projeto é desenvolvido por pessoas.

Muitas vezes, sinto que as organizações se esquecem um pouco das pessoas, da área humana envolvida em seus negócios. É fácil perceber que normalmente um projeto bem sucedido, é fruto de uma boa gerência técnica (custo, tempo, qualidade, …) em conjunto com uma boa gerência de pessoas.