Como descrito na publicação anterior, mostrarei os exemplos das duas formas de representar uma EAP.

Gráfico:
exemplo_eap.png
Lista endentada:
exemplo_eap_2.png

Existe um outro elemento importante na criação de uma EAP, o Dicionário da EAP. Este elemento externo à EAP, muitas vezes tem sua criação negligenciada. O fato de nomear os elementos da EAP, em qualquer nível da estrutura, fatalmente não dará todas as informações necessárias para o entendimento do leitor da EAP, seja na forma gráfica ou na forma de lista encadeada.

Assim, cria-se uma nota explicativa para cada elemento, disponibilizando informações tais como: Especificação e objetivo do pacote de trabalho; Critérios de aceitação.

Com isso, ficará fácil obter o entendimento correto sobre cada pacote de trabalho, ajudando no desenvolvimento do planejamento de forma mais consistente no tocante aos custos, especificação e priorização das atividades e verificação da qualidade requerida.

Uma boa prática usada para a criação de uma EAP, é em relação à nomeação dos elementos. Por representar um produto ou serviço, cada elemento deverá ser rotulado por um substantivo. Mesmo existindo um dicionário da EAP, que sempre deverá ser necessário, poderemos conseguir naturalmente uma maior padronização, facilitando a leitura por diversos participantes do projeto, em diversos projetos, reduzindo tempo, erros e re-trabalhos.

Na próxima publicação, e última sobre as boas práticas da EAP, mostrarei algumas das estratégias mais usadas para a criação de uma EAP.